sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Djebel El Ouahch

Ou as "montanhas do monstro" (lê-se djebel uesh, e é uma palavra curtidissima de dizer)!

Foi o sítio de escape de hoje, para ir ver a neve. Fica a menos de 20 km de onde vivo, mas demora-se o mesmo tempo que para chegar à França, pois os Argelinos são uns tipos porreiros e gostam de fazer filas.

Foi em tempo uma reserva natural e tinha um parque de diversões, mas há quase 20 anos os terroristas queimaram tudo. Entretanto deixou de haver terroristas, mas a Argélia ainda não teve tempo nem dinheiro para voltar a arranjar. Têm andado mais entretidos a ser corruptos e a brincar às obras. É pena, por que tem um potencial enorme para o turismo...

Para variar, todos os sítios agradáveis na Argélia, são estragados pelos Argelinos: ou pelo lixo que deixa, ou apenas pela presença selvagem que têm.

Desgraças à parte, ficam as fotos:






quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Tombe la neige

E diz que a culpa é minha, pois trouxe o frio da Inglaterra...

Os esforçados argelinos do escritório já estão a avisar que vão ter de sair mais cedo, por que a neve vai bloquear as estradas...

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Viva o Sudão



E o respeito pelos direitos humanos, em especial com as mulheres...

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Eu gostava muito

deste blog :Mail de um louco.

Para lá da controvérsia de plágio de um americano qualquer (a que nunca liguei muito), tinha efectivamente tiradas de louco/génio.

Entretanto saiu o livro, e agora limita-se a ser uma masturbação de ego próprio "Eu apareci no jornal!", "O meu livro é um sucesso!" e por aí fora...

Temos pena...

MAR 35 - O "SIM" responsável

Mas afinal o que é o "MAR 35" o tal "SIM" responsável? Tem sido a pergunta mais feita ao longo do dia no meu msn (tipo 2 pessoas), e agora fica a resposta.

O MAR 35, é um movimento que ando a pensar em criar, que legaliza o aborto. MAR 35 são as iniciais de "Movimento pelo Aborto Retroactivo até aos 35 anos", e tem a ver com a quantidade cada vez maior de desilusões que vou apanhando com as pessoas. Este movimento pretende ir um pouco mais além das 10 semanas de gestação actualmente legais em Portugal, e chegar aos 35 anos de idade.

Os cromos do cartaz (nota-se que sou um às no Paint) são apenas exemplos, mas são o target deste movimento: gente que fala com árvores, que viram casacas, que usam demasiado gel ou pura e simplesmente não se mancam das figuras que fazem...

Partilhem :)


e pronto, lá foi o momento non-sense do dia:)

domingo, 12 de dezembro de 2010

Neboshing

Nestes últimos dias tenho andado mais ausente que o normal, pois andei na terra do príncipe Orelhas(o Carlos da Inglaterra, não o dono do Benfica) para tratar de me cultivar um pouco mais.

Fui então tratar de fazer um exame, de uma coisa chamada NEBOSH, que é a grosso modo a mesma qualificação que tenho em Higiene e Segurança, mas reconhecido em todo o mundo. Excepto em Portugal, claro, pois somos um país de vanguarda...

Nunca tinha ido àquela ilha e não desgostei: acabei por não conhecer de Londres mais que o terminal 4 do aeroporto de Heathrow e algumas das variantes à volta graças ao meu sentido de orientação acima da média, ajudado por um GPS que esteve por várias vezes na eminência de voar pela janela fora.

Da Inglaterra, que mesmo não sendo muito normal (conduzem do lado errado da estrada e usam partes do corpo para tirarem medidas) só posso dizer que é um país completamente diferente da magnifica Argélia: as pessoas são educadas, os condutores não se transformam em perfeitos anormais assim que se sentam nos carros, as cidades estão limpas. Há duas coisas chamadas educação e civismo.

As poucas semelhanças estão no facto de se comer muuuuito mal também, ainda para mais caro como o raio. O café, nos moldes normais que conhecemos é também coisa rara: o normal é ser um balde de meio litro (aliás, fiquei com a ideia que a medida mínima para os líquidos é mesmo o meio-litro). O que por cá são lojas de telemóveis, que nascem como cogumelos, em Inglaterra são lojas de tatuagens: há uma em cada esquina.

Como seria de esperar, havia outros tugas também a fazer o exame: nós somos efectivamente pior que uma praga, estamos mesmo em todo o lado :)

Fotonites:

O ar de pânico por fazer um voo intercontinental na Air Algerie... Voo este que ia perdendo, pois esqueceram-se de anunciar o mesmo nos ecrãs do aeroporto: o que vale é que na Argélia os aviões esperam sempre por nós :)

O inicio de uma bela aventura de quase 800 km em contra-mão. Notei que toda a gente tem um GPS, e pensei que fossem lerdos como por cá que andam sempre perdidos, mas não, tem uma explicação muito simples: há speed cameras por todo o lado e a menina que vive dentro do aparelho avisa a grande maioria delas.

No mesmo dia, e praticamente há mesma hora, em Constantine estavam uns anormais 28º...sim é já estava escuro, mas como às 16:30 já é de noite...

O hotel: além de fazerem casamentos a meio da semana, éramos os hospedes mais novos, e uma vez por semana fazem reuniões da Tupperware, seguido de baile das velhas :)

A visita ao fish & chips não podia faltar: eu como sou menino, poupei o meu colesterol a mais uma tortura e fiquei por uma maratona de fast-food :)

Algumas fotos de Hull, a cidade onde fui fazer o exame:








Não sendo propriamente uns tipos originais no que diz respeito a arquitectura moderna, tem uma grande vantagem:  o urbanismo é uma coisa fácil e que que resulta bem. Dá uns ares de Argélia por causa da cor do tijolo, mas em Inglaterra as casas estão efectivamente acabadas.

E para acabar com o spam de fotografias, uma foto da ponte sobre o rio Humber: é semelhante em tamanho e tipo de estrutura à nossa 25 de Abril, mas em betão. É um colosso; a que estou para fazer é mais ou menos parecida, mas vai ser linha África :)




E por agora chega: tenho de ir voltar a reformatar o meu cérebro para a língua francesa, que isto de andar só a dizer oui's em Inglaterra é coisa pirosa...quase tanto como responder em Inglês aos argelinos.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Carros magnéticos

Na Argélia conduz-se em bando. Acho que a malta aqui aprendeu a conduzir com os pássaros, ou seja, assim muito juntos uns dos outros, e com alguns toques pelo meio.

Nos últimos dias, os nossos carros e camiões têm sofrido de um qualquer problema de inversão magnética ou qualquer coisa do género, pois todos os dias tem havido beijinhos no trânsito. Literalmente todos os dias. 

Hoje foi a minha vez: numa daquelas de passa não-passa, decidi-me pelo "não-passas" e um argelino lá ganhou um restyling gratuito no seu carrito.
A minha 4x4 não teve rigorosamente nada, ou então não consegui encontrar uma nova mossa entre as tantas que já tem, já que nem sequer me dei ao trabalho de sair do carro para ver o que tinha. A ter feito mossa, foi a minha estreia em amassos com culpa, e mesmo assim tenho dúvidas que ir na minha faixa e ser apertado pelos 2 lados

À melhor maneira argelina ele refilou comigo em árabe e eu mandei-o para o carvalho em bom português. Em Francês combinámos encontrar-nos para tratar do assunto, mas o homem não apareceu... Lá deu sinais de vida à hora de almoço, e fomos tratar das coisas. Como não estamos para perder tempo com seguros e outras palhaçadas, lá lhe indicámos um pintor onde nós já vamos sendo clientes da casa, mas o homem quis arranjar o carro na oficina da marca e não lhe pusemos algum problema. Só não queria perder tempo a ir passear até oficinas. Quando lhe disse para trazer um orçamento à confiança, pegou nas coisas e foi embora. Já não queria o carro arranjado depois de tal gesto de honestidade...

Vá-se lá entender estes gajos...

terça-feira, 30 de novembro de 2010

O Tempo perguntou ao tempo quanto tempo o tempo tem, o Tempo respondeu ao tempo que o tempo tem tanto tempo quanto tempo, tempo tem


Falar do tempo é sem dúvida a melhor para conversas encalhadas ou de elevador. Como não estou encalhado, e elevadores a funcionar na Argélia são tão raros como gente normal, falar do tempo neste espaço deve ser apenas por motivos fortes. E são! Pelo menos tão fortes como os ventos lá fora. Parece que o Sahara saiu do sítio e se instalou em Constantine: já veio o calor, o vento e a areia...

Numa coisa aqui o tempo é constante: seja inverno ou verão, as tempestades só acontecem à noite. Vai para um ano e tal que aqui vivo, e nunca vi estes prantos de dia. À noite, parece o fim do mundo!
Esta coerência do S. Pedro (será que aqui têm um S. Mohammed que se ocupa destas coisas meteorológicas???) vai dar um certo jeito quando um destes anos, se estiver com os trabalhos acima dos 100metros de altura, já que eu não faço contas em andar por lá às noites...




E sim...falei do tempo mesmo por falta de assunto. Tal como este post leva o prémio do título mais longo de sempre, esta semana que está a passar ganha a menção honrosa de ser a pior semana que por cá passei...

sábado, 27 de novembro de 2010

Echelon

É rebuscada, como todas as teorias da conspiração, mas a verdade é que nunca a Argélia se pareceu tanto com um Big Brother...

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Doucement...

Uma das coisas que faz especial comichão ao pessoal que está em Portugal, é o facto de andarem sempre a dizer que aqui se trabalha devagar. Não o desminto.

A Argélia tem um ritmo muito próprio, e não é conhecido por ser o mais rápido e eficiente... às vezes a culpa é de quem cá está, noutras, talvez a grande maioria, é o tal ritmo próprio... Eles próprios têm um ditado que diz "Doucement le matin, pas trop vite l'après-midi", que traduzido por miúdos diz qualquer coisa do género " devargazinho de manhã, e não muito rápido à tarde".

Prova disso, é que ando desde o principio da semana, a tentar sacar trabalho na net, um simples ficheiro com 40Mb, e ainda não consegui. De noite ou de dia, a velocidade da net é quase a mesma, isto quando há. Hoje à tarde, decidi aproveitar o dia de descanso para fazeres uns trabalhos menores, para os quais preciso de uma impressora a cores. Estou há 4 horas para fazer download de 15Mb, e ainda vou nos 46%...Sei bem que quando for para publicar esta mensagem, ela só vai sair à 7ª ou 8ª tentativa... Relembro que estou na 3ª maior cidade da Argélia, e não num pardieiro qualquer perdido no meio do mato ou do deserto...

Viva a produtividade...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Discotecas

Tenho saudades de ir a uma discoteca... Os poucos dias que passo em Portugal, não dá mesmo para perder horas preciosas para ir para sítios barulhentos e ficar com as horas trocadas: já tenho crianças, e fazem exactamente o mesmo efeito. Mas tenho efectivamente saudades de ir a uma disco. E passei grande maioria dos meus fins de semana de juventude em discotecas, ou a ser um perfeito idiota a beber, ou a trabalhar...

Cá a palavra discoteca tem dois significados: pecado ou casa de put@s! Como nenhum deles é muito a minha praia, abstenho-me de ir. Faz um bocado confusão, Constantine a cidade onde estou, que pode ser vista como a Coimbra da Argélia, apenas ter uma discoteca, e não ser nada mais que uma zona de solteiras...

Para matar as saudades, tenho os meus headphones "super-bujardantes", pelos quais oiço uma "malhas" bem alto antes de dormir...Aquela sensação de zumbido nos ouvidos é um "quase lá"...

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Repromovido

A vida laboral de qualquer pessoa normal é feita de altos e baixos. Sendo uma pessoa quase normal, também já tive desses altos e baixos: ser despedido por email, que afinal era "só a brincar e para não ligar", ser responsável de um país inteiro da minha área, etc.

Há uns tempos, fui despromovido e fiquei contente: andava a fazer meios trabalhos por essa Argélia fora. O salário e as condições mantiveram-se, e pude finalmente começar a fazer coisas com principio, meio e fim.

Há umas semanas atrás fui re-promovido, ainda que timidamente, e sem ninguém (nem mesmo eu) dar por nada: mantiveram-se as condições e aumentou o trabalho. Nada que me queixe muito: é algo que até queria aprender e não me chateei muito. Pelo menos ando ocupado. Ter ocupação=coisas estapafúrdias para escrever num blog.

No entanto, hoje foi um dia especial, porque oficialmente subi mais um patamar num organograma (pronto, há poucos que lhe ligam) mas ele afinal até existe e até fui eu que o fiz :) Agora estou no patamar dos Engenheiros Directores :))))) Só mesmo em África!

A guerra de melhorar as condições, há-de vir lá mais para o Verão, pois isto de ter 5 chefes não é fácil. Especialmente motivador é ter um deles(por sinal um dos que manda mais) que invariavelmente diz que eu ganho demais...

domingo, 21 de novembro de 2010

De volta ao paraíso...

...desta vez com o pecado dentro de mim. Mais propriamente dentro da barriga, já que a minha última refeição em Portugal foram uns belos lombinhos de porco, e ainda não os evacuei para o mediterrâneo.

Neste últimos dias, foi fim-de-semana à grande e à argelina: feriados 3ª e 4ª, 5ª ponte e os resto dos dias fim de semana., em que a malta aproveitou para uma debandada em geral da Argélia, a grande maioria de surpresa para as famílias... Estas surpresas podem ser desagradáveis, pois corre-se sempre o risco de dar de caras com o Ricardão à saída de casa :)

E chega por hoje, que o post foi só mesmo para experimentar o teclado novo ;)

T-26(com uma interrupção pelo para ir às Inglaterras)

domingo, 14 de novembro de 2010

Run, Shaun, Run!!!

Por estes dias na Argélia, a pior coisa que se pode ser é uma ovelha. Pior ainda que ser mulher. Tudo por causa do Aid. O Aid é parecido com o Natal, mas com uma lindo pormenor que é ter a família toda reunida para ver o chefe da casa, a degolar o bicho. Não, não é a circuncisão do puto mais novo: é mesmo cortar o pescoço da ovelha e deixa-la sangrar até morrer! Lindo cenário para uma reunião de família...


Por todo o lado da cidade, há montinhos de palha para serem vendidos, para que a malta possa alimentar os animais em casa nos últimos dias antes da festa. De preferência devem estar à vista dos vizinhos, e quanto mais melhor. A imagem é tudo...

Ontem já o rio ia vermelho, por causa de um matadouro que há a montante e que começou a preparar os animais para os que não se podem dar ao luxo de pagar quase 300€ por um animal. O ordenado médio dos peões de obra é 100 e poucos €uros...

Static rules






Semana sim, semana não, tenho aquilo que costumo chamar umas noites electrizantes! Não que tenha companhia, mas é a semana dos lençóis chineses. Como grande maioria das coisas que vem la dos orientes,a qualidade é o que se sabe. Estes em particular têm uma óptima característica: são de fibra!

Fibra+fricção = electricidade estática!

E se podem não ser grande coisa como lençóis, são garantidamente uma excelente forma de energia. Alías, acho grande parte dos problemas energéticos do mundo, podiam ser resolvidos com estes lençois: basta friccionar um pouco e a descarga é garantida.

Nestas descargas, destacam-se como as mais agradáveis, a que apanho logo de manhã assim que ponho o pé no chão, onde aproveito para descarregar o primeiro leque de palavras começadas por F, C e ofender a mãe dos lençóis. A outra não menos agradável, é que levo à noite, quando estou a ouvir música ou ver um filme no pc, com os headphones. A sensação de um alfinete a espetar-se dentro do ouvido é óptima...

Pode ser que esta semana seja mais curta...para mim ou para os lençóis ;)

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Pork Inside

Quando se vai comer um dos pratos típicos da Argélia, a pizza, é normal trazer-se o resto para casa. Se for à hora de almoço, guarda-se no frigorífico do escritório, e muito provavelmente algum primo argelino, vai-se abarbatar a umas fatias, "porque pensava que era oferta", ou "que a telepizza tinha aberto em Constantine", ou uma desculpa esfarrapada do género. As minhas ficam sempre a salvo porque como não gosto de queijo, as pizzas ficam com um aspecto que não lhes agrada muito.

Para salvaguardarmos o jantar, tem de se recorrer aos truques como o da foto...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Almas Gémeas - Sinistralidade Rodoviária

Só há uma palavra para descrever os condutores argelinos: animais! Não há regras (quer dizer há, mas poucos cumprem), as estradas na sua grande maioria são uma treta e a grande maioria dos carros que aqui circulam, foram cá deixados pelos franceses quando se foram embora, por serem velhos demais para levar para a França. Os peões também não ajudam nada a baixar os números, pois até hoje só conheci 2 tipos de seres vivos (tirando as árvores, e demais plantas) que não se desviam dos carros: as vacas e os argelinos! Na cidade, basta um pequeno engarrafamento para se perceber que eles conduzem como os pássaros voam em bando: tudo à mistura, mas raramente tocam uns nos outros.

Em Portugal temos umas estradas melhorzitas, os carros são mais novos, mas o sangue quente dos árabes também ferve, principalmente ao volante, e somos também um bocado animais, embora mais domesticados. Não muito: bastem terem uma 4L que não passa dos 80 km/h e circularem com ela numa estrada nacional e vão perceber a razão. 

As multas custam mais a pagar em Portugal, e não se consegue dar a volta ao policia com 200 Dinares (2 €uros) como se faz por cá. Acho que só mesmo por aí, é que temos mais juízo: na base de ir à carteira! Aqui é preciso mais: ir à carteira e porrada, para aos poucos com as melhoras deixar de ir na base da porrada, e ser só ir ao bolso.

São neste momento o 4º país com piores índices de sinistralidade ao nível mundial, e o primeiro lugar, que eles orgulhosamente gostam de ocupar, nos países árabes.Todos os Domingos, a grande maioria dos jornais nacionais, fazem a contagem da semana anterior, com os mortos por Wilaya(espécie de distrito). A maneira como escrevem as notícias, parece que estão a falar de um campeonato inter-distrital qualquer, com a contagem de pontos da jornada. Um bocadinho mórbido...

Vamos aos números:

Argélia: 30 e tal milhões de habitantes, "oficialmente" 4000 mortos na estrada em 2009 ( estas democracias têm a tendência de serem como o Guterres, e confundirem com os números, por que oficiosamente fala-se em 14000 mortos em 2009).

Portugal: 10 milhões e uns trocos: 700 e tal mortos em 2009 (como a nossa democracia também anda meia esquisita, só são contados como mortos, os que morrem efectivamente no local do acidente, tudo o resto é ferido grave, mesmo que morra 2 minutos depois de entrar numa ambulância).

Contas de merceeiro:

Pelos números oficiais dos 2 países, eles têm 4 vezes a nossa população, e praticamente a mesma proporção de acidentes mortais.

Como os números e em especial as minhas contas não são de fiar (por alguma coisa estou na Argélia a tentar que eles não morram nas obras e não estou no MIT), podia-se pensar que afinal, neste caso estamos mesmo muito perto de sermos países gémeos. Errado! Basta conduzir aqui 20 minutos, e percebe-se que aqui há mesmo uma protecção divina...Imagine-se os números sem a tal protecção...

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

MOC vs CSC

O estado de sítio está implantado em Constantine! Amanhã é dia do derby local, entre as duas equipas de futebol da cidade.

O futebol na Argélia, é uma coisa de interesse nacional, e quase sempre dá em confusão: ganhem ou percam! O ano passado, metade das cadeiras do estádio voaram. A policia de choque distribuiu fruta à vontade do cliente, mas nem assim se evitou um morto.

Como há sempre gente que gosta de ser parva, depois de se avisar toda a malta para amanhã se manterem longe do estádio durante as horas antes e depois do jogo, 4 artistas expatriados compraram bilhete e lá vão assistir à bola....Como costumo dizer que lavar a cabeça a burros, é gastar água e sabão, só perguntei se o contacto de emergência (o número para onde se deve ligar caso haja problema com cada um de nós) estava actualizado...

Os argelinos mais normais, são os próprios a dizer que não é bom dia para se sair de casa. Aliás, a esta hora o som da cidade já é dominado pelas vuvuzelas (sim, também chegaram aqui), os tambores e as sirenes dos carros de Polícia. Diz quem conhece, que a malta da América latina, quando toca a fanatismo pela bola, são uns meninos ao pé destes...

Curiosidades:
- O CSC e o MOC, são como o Inter e o AC Milan, bem mais inteligentes que Benfica e Sporting, pois partilham o estádio;
- O CSC traja de verde e preto e o MOC de azul e branco;
- O treinador do MOC é brasileiro.

Deixo-vos um cheirinho da coisa com 2 vídes ao calhas que apanhei no tubo: um mostra a bola (parecem aquelas transmissões manhosas do México) e o outro, o pós-jogo, que mostra como eles põem em prática os sagrados ensinamentos do Corão...


 

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

The sound of silence


Eu bem que andava a achar a vida por casa meio estranha...um estranho silêncio...Que entretanto acabou!

Voltou o toureiro, e as constantes chamadas "eh toiro!", bem como as piadas contadas 28 vezes por dia :) São barulhentos estes ribatejanos...

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Ghardaia Dress Code

A foto não é minha, mas posso atestar a veracidade da mesma: eu vi-a à entrada do centro da cidade.


Portanto já sabem, em Ghardaia, não devem andar de pernas cruzadas nem a fumar cachimbo. Sobretudo não se esqueçam das crianças em casa. Se não tiverem filhos, peçam emprestado um sobrinho ou um filho de um amigo.

domingo, 31 de outubro de 2010

Almas Gémeas - As pontes

Hoje é Domingo. O primeiro dia útil da semana à moda da Argélia. Amanhã, é feriado. Dia do início da guerra da independência contra os franciús.

Uma das coisas que estes 2 povos partilham em comum, é o gosto pelas pontes. Assim, como mais mediáticas nós temos a Vasco da Gama, eles hão-de ter a "Transrhumel", no dia que se decidirem a deixar-nos fazê-la...

Nas pontes que realmente interessam ao povo, os dois países podem andar de rastos, mas o que interessa são os fins de semana prolongados.

A minha ajudante ligou-me ontem à tarde. Estava doente, e previsivelmente não poderia vir hoje. Pedi-lhe para trazer a justificação do médico, o que à semelhança de diplomas universitários e cartas de condução, não há-de ser grande problema. Tenho um amigo que faz :)

A virose que por aí anda deve ser bem contagiante, por que hoje o escritório está a meio-gás. Anda meio mundo doente...

Almas gémeas

Embora passe o tempo a dizer mal da Argélia em geral, e dos Argelinos em particular, eles são muito parecidos com os tugas.

Os tempos que por lá passaram, até o Afonso ter batido na mãe e decidir reconquistar a terra aos mouros, deixaram marcas. Eu costumo dizer que o sangue é o mesmo... Logo, há muita coisa em comum entre estes 2 povinhos ;)

Esta nova rubrica que estreia hoje, e que vai durar até eu me fartar, vai mostrar essas mesmas semelhanças.

sábado, 30 de outubro de 2010

Consanguinidade



É uma palavra muito díficil de dizer e escrever correctamente; além disso, a maioria de nós conhece este fenómeno como "filhos de primos", e para este caso é a definição mais acertada.

Durante estes dois anos a pedalar na bosta por terras argelinas, tentei decifrar o porquê destes tipos serem como são. A coisa que vem sempre à cabeça é "estes gajos não são normais" (os que vieram de Portugal, também não são, mas isso são outras rosas). A religião e o terrorismo, não justificam tudo. Ainda apontei para o calor, mas acabava por ser uma teoria meio rebuscada, por que o inverno aqui também fica bem frio...

A prova desta minha teoria, apareceu durante esta semana; o Raul (cognome português para um argelino porreiro que temos no escritório) faltou ao trabalho de manhã. Motivo: foi só num instante casar-se. Voltou da parte da tarde, todo orgulhoso com a sua aliança de prata (os homens não podem usar ouro, senão vão ser bons clientes de Viagra...) e legalmente autorizado para começar a constituir família. Com a prima...

- Com a prima????

- "Oui! C'est normal!"

Pois...normal só se for por aqui! Mas lá está, normal e Argélia na mesma frase, é sempre meio esquisito de se ler...

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Hotel Le Petrolier

Como as novidades por cá continuam parcas, decidi fazer uma instrospecção das belas paragens por onde já andei, em terras argelinas desde 2008.

Que dizer do Hotel Le Petrolier??? Primeiro dizer como lá fui parar: para os argelinos, à semelhança dos alentejanos o "Já ali à frente!", são normalmente 80 Km's ou mais. Desculpo mais os argelinos, nesta falha na noção do que é perto, por que efectivamente a Argélia é um país enorme...

A minha viagem começou com um voo para Hassi Messaoud, onde iria sair de carro para Ghardaia, numa "viagenzita" de 350 kms. Tudo para poupar numa noite de hotel em Argel...

Hassi Messaoud, é tipo o Entroncamento. É de lá que a malta dos petróleos se junta, e por onde se distribuem para o resto do país. É também conhecida por ser a terra das put@s e de terem os únicos voos minimamente pontuais. 

Tem também um sistema de segurança marado para se poder sair do aeroporto: escolta ou livre-trânsito. Aqui o amigo não tinha nada, e queria ir à noite de táxi pelo meio do deserto, até Ghardaia. Patinho!!! A primeira bola a sair do saco, foi o passaporte confiscado. A segunda foi ter de esperar pelo ultimo voo(quase 8 horas), para poder apanhar boleia da Policia até um hotel na cidade.

Pelo meio fui tendo as normais conversas com os policias argelinos: a Argélia é linda, o Figo, o Ronaldo, a Linda de Suza, e claro, o Madjer: o melhor estranjeiro de sempre a jogar em Portugal...Claro, num cubículo fechado com 2 cheirosos: abençoado vício de fumar, que diminui o olfacto!

A hora combinada, lá fui na carrinha celular, com os polícias a cantarem qualquer coisa parecida com a "fui de visita à minha tia a Marrocos!"

Largado no hotel, quase em movimento, lá entro no hotel; à entrada nada de especial: só mais um hotel ranhoso na Argélia. O comum!

Feito o check-in, hora de subir para o quarto! Nas escadas (claro que o elevador estava "en panne"), até ao 3º andar, acho que vi todas as raças: pretos, brancos, amarelos, azuis, cinzentos demais cores que se possam lembrar. Tudo a fumar sentados nos degraus, e com pouca de se desviarem da minha mala...

Vamos mas é às fotos, que eu sei que é isso que a malta gosta :)

Entrado no quarto, pude admirar a bela decoração estilo "casa da minha avó no interior":

Favor reparar no toque de classe, ao por à disposição do cliente, um belo roupão, muito provavelmente a cheirar ao último hóspede...

Banheira de hidromassagem de última geração: ainda equacionei tomar aqui um banho, mas felizmente não havia água...

Hummmmm... É preciso comentar alguma coisa?

Por fim, a foto que melhor representa a Argélia: xanatos aka reparações de arame e martelo (o tuga também tem este dom). Repare-se no toque de classe, com a ponta do palito ensanguentada...

Resta dizer, ao melhor estilo tripadvisor, que se estão interessados em dormir vestidos, não ter água e ficar 3000 dinares (+/- 30€) mais leves, optem pelo Le Petrolier...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Constantine Outono/Inverno - 2010

Parece que nova moda, a nova moda dos portugueses por cá, é discutir forte e feio uns com os outros durante o dia, e à noite fazer as pazes ao melhor estilo Big Brother :)

Eu, que não ligo a nada a estas coisas da moda(tirando umas paragens ocasionais no FashionTV, para ver umas peles), continuo na minha onda Zen: discutam à vontade, que eu não tenho vida para aturar discussões idiotas. Durante o dia chama-se tudo e mais alguma coisa, por coisas mínimas, à noite enterram-se os machados, e no dia seguinte, logo se vê quem vai ser o próximo alvo.

É o derradeiro sintoma de trabalho a menos...

domingo, 10 de outubro de 2010

E mais uma vez...

lá estou de volta a esse grande país, que é a República Popular e Democrática da Argélia...

Por estas bandas, voltou tudo à normalidade (relativa), já que usar as palavras "normal" e "Argélia" no mesmo encadeamento de frases é estranho. Isto quer dizer, que pelo menos agora já voltaram a comer às horas e vezes normais.

O trabalho, esse continua enguiçado e a promessa de tempos livres e idiotas com fartura, parece que se vai manter...infelizmente...

sábado, 25 de setembro de 2010

Alive



Sim. Estou vivo! Consegui sobreviver estas últimas semanas, a ser pai a tempo inteiro :) Os putos também estão vivos, e com as peças todas :D

Amanhã, sim, começam as férias...

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Porreiro, pá!!!


Por estes dias, eu devo ser dos poucos portugueses contente com o Sócrates! Isto claro, tirando meia dúzia de boys e a malta do PS... (tirando os blogs do pessoal rosa, este deve mesmo o único a dizer bem)

Este meu contentamento com o nosso primeiro, tem a ver com uma das belas invenções deste senhor: a licença de paternidade alargada. Isto quer dizer o quê? Quer dizer, que agora, no fim dos 5 meses de licença da mãe, o pai pode gozar de 1 mês de licença... E isto quer dizer o quê? Quer dizer que amanhã, lá me vou eu meter num avião, e só paro em Lisboa. Regresso lá para o mês de Outubro.

Isto claro, não desculpa o assalto que sofro todos os meses no meu ordenado, mas pronto, uma mão lava a outra, e continuamos todos amigos como antes...


Porreiro, pá!

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Missão Impossível

Sim, é verdade! Tenho andado calado, por que tenho tido que fazer. O suficiente para ocupar a cabeça e ter ideias perfeitamente parvas para ir sustentando um blog:)

Como agora tenho outras atribuições, está na hora de reforçar a equipa. Os critérios são:

- Sexo feminino e agradável à vista: tem de ser mulher. Já aqui disse, mas volto a repetir, ao nível de competências, as mulheres na Argélia dão "quinje a jéro" aos homens. Estudam mais, esforçam-se mais e são menos inventoras. Para os homens, porreiro é sair da escola aos 14 anos, para começar a ganhar dinheiro com uma barraca de vender tabaco e pastilhas elásticas. Claro que tem de ser agradável à vista,  já que vai ficar de frente para mim não quero nenhum mostrengo nem nenhum borbulhento :)

- Solteira, e não pelos motivos óbvios das cabeças conspurcadas. As solteiras estão mais disponíveis a ficar a trabalhar depois da hora. As casadas normalmente, 5 minutos antes da hora têm o marido à porta.

- Que fale Francês;

- Ter um CV com poucos erros ortográficos, e minimamente apresentável.

Não importa muito a área de formação: os cursos superiores na Argélia são fracos e para a área que se destina (Gestão de Qualidade) interessa é ter gente que queira aprender, que seja organizada, rigorosa e capaz de trabalhar com rotinas. O resto eu ensino. Experiência é também secundária: antes alguém assim mais verde, do que alguém com alguns conhecimentos, pois na Argélia basta ver fazer ou ter um amigo que faça, que automaticamente se fica um expert na área.

Ao fim de 4 dossiers de CV's, a missão está a tornar-se impossível, pois não consigo acreditar em quase nada do que escrevem. A experiência por cá confirma esta regra.

O lado porreiro disto, é a quantidade de pérolas que aqui tenho visto, a saber:

- Tempos livres: desbloqueio de telemóveis, cartões de satélite e demais equipamento electrónico;

- Conhecimentos de Francês: "Hóptimus" tanto escrito como lido(dar um valente erro na linha que se diz que se escreve bem uma língua estrangeira é do melhor);

- Directores: há uma progressão enorme nas carreiras, pois conseguem-se ver estagiários a ocuparem cargos de director;

- CV: a quantidade de variantes com que se pode escrever as palavras Curriculum Vitae, é impressionante;

- Diplomas e certificados de proveniência duvidosa: não vale a pena sequer comentar, não é???

Amanhã começam as entrevistas...

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

ENTV - Os sádicos


A ENTV é a RTP da Argélia. Não passa filmes com bolinha e tem 2 telejornais: 1 em árabe outro em francês. Basicamente, pouco mais sei sobre a televisão na Argélia, mas não deve ser grande coisas para eles usarem e abusarem das parabólicas...

No entanto, nos últimos dias apercebi-me que quem manda na TV por cá, é uma pessoa muito má. Com toques de malvadez a roçar o sadismo. Há dúvidas? Primeiro, o programa de eleição durante o Ramadão, é o "Camera Cachée", que não é mais nem menos, que um programa de apanhados. Já tentei ver alguns pelo youtube, mas além de não entender 90% do que dizem, as situações que criam são muito forçadas, e a grande maioria delas parece mesmo ser combinada. Para quem passa um dia de privação, podiam ser mais simpáticos com a escolha da programação. Cá não há daqueles apanhados canadianos, em que aparecem meninas num car-wash com as bóias à mostra.

Falando em dia, ontem fui obrigado a estar na sala de espera de uma clínica, no lado dos homens claro, e durante quase uma hora fui vendo o que passa pela TV. Aqui as coisas são semelhantes às tardes de televisão portuguesa: novelas ou séries da treta, uma espécie de talk-show para velhinhos e publicidade. Muita, mas muita publicidade! E foi com a publicidade que vi como eles são mauzinhos uns para os outros. 

Em cada 10 anúncios, 8 são a produtos alimentares e/ou bebidas! Para quem anda de jejum (e ontem calhou-me não almoçar), acredito que custe muito estar a ver televisão, quando a maior parte do tempo se está a apresentar imagens de um franco suculento a sair de um forno, ou de uma Coca-Cola ainda a fumegar de tão fresca!

A mim custou-me um bocadinho...

Para mais informação: ENTV ;)

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Fechado para balanço


É normal, por todo o lado do mundo, uma vez por ano os estabelecimentos comerciais, fecharem por uns dias para fazer o tal balanço anual. Muito menos normal, é um país parar por completo durante um mês inteiro.

Desde que começou o Ramadão, tratar de algum assunto externo é um verdadeiro filme indiano. Se precisarmos de falar com alguém numa entidade externa, a resposta é sempre um "não está cá!". Depois tentamos saber se está de férias, se saiu para ir à rua ou pura e simplesmente saber quando volta, e o "Não sei!", é também a resposta habitual... Isto depois, de normalmente andar a fazer de bola de ténis de balcão em balcão!

O lado positivo: como durante o Ramadão, os serviços do Estado (maior empregador da Argélia) funcionam em horário reduzido (09:00 às 16:00), apanha-se muito menos selvagens na estrada...

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Obras por email


Mesmo não havendo grande coisa para fazer, há sempre malta que tem um condão especial para nos tirar do sério. Aliás, cada vez mais acho que estou num episódio do Bob Construtor, já que parece que anda tudo a brincar às obras.

Os colegas transatlânticos, têm uma péssima mania: fazer a obra por email. Há aquela ideia no ar, que se for por email, um tipo fica todo acagaçado e vai a correr fazer as coisas. É triste. Principalmente quando se está a 15 metros, e não se tem a coragem ou a competência para argumentar uma discussão. Então envia-se tudo por email. De preferência com cópia ao chefe e em Francês, traduzido pelo Google Translator, para ser ainda mais difícil de perceber o que querem.

Não sendo propriamente uma "put@ velha" (termo das obras para gajo muito batido), já lhes levo uns anitos de avanço, e estes tiritos de pressão de ar, normalmente costumam dar-lhes uns ricochetes mais chatos. Quem tem telhados de vidro, e é minimamente inteligente, deixa estar as pedrinhas quietas no chão, à espera de uma ideia de jeito...

Custa, principalmente para mim, que detesto enviar emails a queimar...

Mas pronto, amanhã de manhã começa outro dia (para uns mais cedo que para outros, mas já se sabe que quando o gato está fora, os ratos costuma andar por cima das mesas...) e lá vem mais uma desculpa esfarrapada... 

Nada de novo ;)

Código de Conduta


Hoje descobri está pequena maravilha, que é o código de conduta do Ramadão. Sendo o meu 3º Ramadão passado na Argélia, já não há grandes novidades. Claro que se pode sempre perverter a coisa e arranjar uma análise alternativa para isto :)

Na prática então, temos que, durante o resto do ano se pode fazer tudo o que está a vermelho, e que só se devem ajudar os pobres neste mês (há aqui algumas semelhanças com outra religião que eu cá sei...). 

Portanto, lá para depois de 11 de Setembro, já se pode voltar à vida quotidiana, tal como:

- Fazer uma alimentação normal (alguém lhes diga que passar um dia inteiro sem comer e sem beber, faz com que os kilos de doces que comam à noite seja todos absorvidos);

- Já se pode voltar a fazer flirt com os olhos e ter pensamentos impuros (pensei que era pecado o ano inteiro); 

Discutir e procurar porrada, principalmente a cada cruzamento ou sinal de STOP(é uma espécie de desporto nacional)

- Dizer palavrões (os palavrões normalmente são os preliminares do desporto acima referido);

- Voltar a fumar (uma das únicas boas indicações que se podia estender o resto do ano, na Argélia acho que 90% dos homens são fumadores);

- Usar pc, telemovel e afins (essas coisas tão inúteis do Demo), 

- E por fim, voltar a ouvir música (esta também se podia prolongar o ano inteiro. Não quero ser acusa-cristos, mas a rádio do estado anda a pecar por estes dias...)

domingo, 22 de agosto de 2010

O chuveirinho, a mão esquerda e as três conchas

(Antes de mais, é um ganda título para um post)


No meu primeiro dia de Argélia houve uma coisa que me fez bastante especie: um chuveiro ao lado da sanita! Chegado ao hotel, ainda meio arremelado do pardieiro para onde tinha vindo parar, lá decidi ir aliviar a tripa. Primeira grande diferença: não há cá misturas entre sanitas e banheiras (não vão eles fazer confusão). Estão em divisões separadas. A ideia até não é má, das poucas até de jeito das cabeças francesas...

Na altura, fiquei mesmo confuso com aquilo: para que raio querem um chuveiro aqui??? Será que tomam banho aqui?

Aos poucos fui juntando as peças: toda e qualquer casa de banho onde ia, parecia um charco, onde se vai de galochas. Engraçado que não via ninguem sair de lá com aspecto lavado, tirando os pés antes das rezas...Estranho!

Umas peças depois apareceu a mão esquerda: a mão impura! Num momento de rara inteligência lá juntei tudo: o chuveirinho (ou a garrafa de água caso seja no maior WC da Argélia: a rua), a mão esquerda impura (não se usa para cumprimentar nem comer), a constante falta de papel higiénico fizeram-me sentir como o John Spartan, quando ele vai à casinha e só encontra as 3 conchas...

Nas coisas de WC, sou um bocadinho como o tipo do American Pie: há coisas que só em casa! Ainda para mais partilhado com árabes...

No entanto, e no meu gabinete passa-se uma coisa inédita na Argélia! Num país onde grande maioria das coisas estão vedadas às mulheres, ou se não está vedada não há misturas com homens, há um WC partilhado por homem e mulher (em alturas separadas, claro...)!!! 

Ainda que ao principio tenha sido necessária uma atitude de "Nazi dos WC's" para acabar com as garrafas de água e os charcos, hoje vive-se em perfeita harmonia entre sexos!!!

E assim se desmistifica esta trilogia, e se muda um pouco a cabeça destas gentes...








(basta ter um pouco de trabalho, que logo volta a inspiração)

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Stop 3.0

Por mais que tente entender estes argelinos, pura e simplesmente não dá; são de extremos: capazes do pior e do melhor.

A malta daqui anda no mês das dietas, a.k.a. Ramadão, o que implica, a grosso modo, não comer desde o nascer até ao por do sol. Quando dá a hora certa, estejam onde estiveram atacam-se na comida sem piedade. E ai de alguém que não esteja a comer: outra das regras, é partilhar. Há 2 anos, era eu ainda um verdinho na Argélia, calhou-me estar no aeroporto quando deu o gong para comer. Como eu não me dou a estas dietas, estava bem lanchado ainda a essas horas, ou seja não estava a comer. Prontamente, meio aeroporto fez fila e se prontificou a oferecer comida. Na altura, sozinho há meia dúzia de dias, lá comi o que me ofereceram. Não sei o que comi, nem quero saber. Acabei por ser salvo por uma argelina, que se apercebeu que eu não era destas paragens...

Hoje, lá voltou a acontecer uma daquelas coisas que só na Argélia: fui mandado para numa barreira de Policia. Para me oferecerem comida...

Os policias estavam a começar a comer quando passei, e logo me encostaram. Saí de lá sem perceber nada para além do "bom apetite" em árabe, um bolo e 2 iogurtes... O bolo é semelhante às nossas filhoses, mas com uma dose extra de óleo( quando acabei, o volante fugia das mãos).

Sempre fui educado a não aceitar comida de estranhos, mas sendo de um agente da autoridade, lá se abre uma excepção :))) Boa notícia: ainda não comecei com sons estranhos no estômago...

Assim sim, têm legitimidade para se andarem sempre a chamar Irmão uns aos outros. Bestial! Pena é que quando acabar o Ramadão, voltem a ser as pequenas bestinhas às quais já estou habituado...

domingo, 15 de agosto de 2010

Eu bem que sabia...

Gajos como eu, só não acertam no Euromilhões... tudo o resto vai batendo certo!

Cheira-me que vem aí outro ano difícil na Argélia; isto de ser o único verde cá do sítio é uma gaita...

sábado, 14 de agosto de 2010

Silly Season 2.0


E hoje à noite, lá na terra dos móveis começa outra silly season; a grande diferença da silly season Portuguesa para a Argelina, é que em vez de durar um mês, só vai acabar lá para meados de Abril ou Maio...

A ver vamos o que o forcado faz :)

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

A vaga de calor

Todos os dias, às horas das refeições, mas principalmente ao jantar, lá estamos nós agarrados à caixa para sabermos o que se vai passando em Portugal, e no resto do mundo.

Em Portugal, infelizmente só há notícias de fogos e mais fogos (os mais psicóticos vão dizer que são fogos postos por malta do PS para não se falar mal do Sócas), e da vaga de calor. Ora vaga de calor, na minha terra actual, é quando se anda acima dos 45º. É um bocado estranho ouvir a malta a queixar-se das temperaturas máximas de 38 e 39º em Portugal, quando aqui, regra geral, depois das 10:00 já estão mais de 40º... Diga-se que o calor em Portugal, mais propriamente na zona provinciana de Leiria, custa muito mais a suportar que aqui, por causa da humidade. A cidade onde estou, não sendo propriamente no deserto até tem alguma humidade, mas nada que se compare com a zona Oeste.

Por cá, o máximo que já apanhei foram 54º, lá para os lados do deserto. Não sendo propriamente agradável, o calor seco suporta-se, desde que longe do sol; a sensação é a mesma de ir tirar frango de dentro do forno. Ou melhor, entrar dentro do forno para fazer companhia ao frango:) Dentro de uma tenda de solda, a sauna deixa de fazer sentido...

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Silly Season

É oficial! Entrou-se na "silly season" na Argélia e restantes países muçulmanos!

Ontem à noite, alguém lá olhou para a lua e desde hoje de manhã que a Argélia é um país diferente (ligeiramente pior, diga-se de passagem).

O Ramadão é o nome do mês em que se faz o "karem", o jejum para os incultos que não falam árabe, e nunca calha na mesma data, como o nosso Natal ou o fim de ano. É assim como a Páscoa e o Carnaval, mas menos aleatório: todos os anos antecipa-se 10 dias. Tem a ver com os ciclos da lua. Depois há a Líbia, que costuma começar antes, só por que o Khadaffi gosta de ser diferente :)

Para os argelinos implica uma série de coisas que não se pode fazer desde o nascer ao por do sol durante cerca de um mês; é interdito beber água ou outro líquido qualquer, comer, fumar ou ter pensamento impuros. As mulheres passam a andar sem maquilhagem ou unhas pintadas, e deixam em casa os vestidos e panos da cabeça mais floridos. Basicamente deixam de parecer árvores de Natal. É meio estranho estar habituado a vê-las todas pintadas, e assim sem tinta parecem doentes (a parte de não comer também deve ajudar a andar sem cor).

Eu pessoalmente não ando muito para aí virado para este mês de suposta purificação: isto de não comer durante o dia e à noite empanturrar-se de doces não sei se será a melhor maneira de purificar o corpo e a mente.

O meu jejum acaba à hora de almoço. Fumo e bebo água, embora não ostensivamente para não ofender os vidrinhos.

Durante o mês do Ramadão o país ganha outra vida, ainda mais lenta do que o normal. A grande maioria da malta aproveita mesmo para tirar férias, por que isto de andar o dia inteiro em jejum, com os 40 e muitos graus lá fora custa a todos. Vantagens: há menos selvagens a conduzir, e andar de carro torna-se bastante mais seguro :)

À noite, sai tudo a rua em família, e vingam-se das proibições do dia...hoje vamos para a noite :)))))

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Irrigação cerebral

Como agora ando numa de ser inteligente, decidi começar a exercitar o cérebro. Acho que passar 5 minutos por dia de pernas para o ar, vou fazer chegar uma dose extra de sangue à minha massa cinzenta, e com isso disparar a minha inteligência :)

Se não der, também não vem grande mal ao mundo: sempre fica um rico post que de certeza vai fazer as delicias dos muitos podolátras que por aí pululam :)))

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

De volta à escola

Ora como isto de emprego está mau para todos, para o pessoal que só tem a 4ª classe como eu, ainda está pior.

Farto de andar a apanhar sol na careca, a minha mente iluminou-se e decidi voltar à escola; podia ter optado pelo caminho mais fácil (comprar um curso superior na Argélia por 100€), mas acabei por fazer o que as pessoas normais fazem, que é ir à escola ;)

Não vai haver regressos à Engenharia dos Pópós, mas sim para a parte de Ambiente e Energias (nome pomposo para curso de gaja).

Ao mesmo tempo, inscrevi-me num curso que é basicamente o mesmo curso de H&S que tirei há uns anos (e que me trouxe para a bela Argélia), mas em Inglaterra, porque isto de ser fino obriga a estudar no estrangeiro:) Este curso, o tal NEBOSH, reconhecido em todo o mundo, pensei eu que ia servir para a renovação da minha carteira profissional, mas como em Portugal acho que anda tudo doido, não serve... Aparentemente as 200 e tal horas não substituem as 30 de um curso da treta em Portugal... Andamos exigentes!!!

E isto quer dizer o quê? Que tenho de arranjar um 3º curso para renovar o tal CAP... Falta agora o tempo para renovar o cartão de socorrista da CVP, mas isso é lá para depois, senão corro graves riscos de esgotamento :))))

Cumprimentos,

Dr. Rui

sábado, 7 de agosto de 2010

Em trabalhos

É mesmo isso!

Depois destes dias em Portugal, parece que vim de férias... Isto de ter 2 putos não dá grande tempo para descansar. Se pelo mais novo ainda não há horários, ou seja, o mundo pára quando o moço tem fome, coisa que pode acontecer a qualquer hora. A mais velha, tem os horários normais para crianças de 5 anos: acordar com sono durante os dias da semana, e ao fim de semana, acordar cedo para ver bonecada na tv.

A juntar a isto, há ainda a dona, que passa os 3 meses que por cá ando, a comprar coisas que dão trabalho: cortinados, candeeiros e esse tipo de coisas que não se vêem em casa de gajos solteiros. Como sou um tipo extremamente organizado, quando ando nestes bricolages, há sempre alguma coisa que fica esquecida, e lá ando eu a passear escadas acima, escadas abaixo...

Por isso, vou aproveitar estes dias para descansar, que não tarda estou de volta a PT ;)

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

update

Só mesmo para fazer um update, e dizer que já estou de volta à Argélia desde a passada 3ª feira... Desta vez, não vão ser os 3 meses da praxe, por que o amigo Sócrates lá se lembrou de quem tem filhos, e arranjou uma licença de paternidade alargada que me deixa ser pai em full-time lá para princípios de Setembro! Um mesito :)

Por aqui, o marasmo de sempre, com poucas novidades e as tretas do costume que gostam de fazer quando um tipo está de férias...nada de novo a não ser o Ramadão que está para aí a rebentar na próxima semana :S

terça-feira, 20 de julho de 2010

@ Home

E cá estou eu por casa, deixando por uns dias (curtos) a Argélia.

A viagem correu como normal: perder um voo e ficar sem as malas em Barcelona, já me parece normal. Aliás, sempre que venho por Barcelona, a primeira coisa a fazer quando chego ao tapete das bagagens é...ir ao balcão tirar a senha para reclamar :)

E agora, vou-me retirar por mais uns tempos e ser pai a tempo inteiro :)

sábado, 17 de julho de 2010

Screw you guys, I'm going home!


E com esta bela deixa do Cartman, me despeço da Argélia por alguns dias, depois de mais 90 dias de encarceramento mental no Magrebe :)

Amanhã é o tal dia dos 3 voos e de demorar mais de 12 horas para chegar a casa, mas que se lixa: é por uma óptima causa :)

Desta vez, vou ainda mais contente, por que descobri que afinal não devo ser uma besta assim tão grande como se pensa, pelo menos a avaliar pela quantidade de prendas que levo desta vez; a rapaziada (e sobretudo a raparigada aqui do escritório) devem mesmo gostar de mim!

As hostes reabrem em Agosto!

segunda-feira, 12 de julho de 2010

fODS

Parece que há luz no horizonte (devia ser ao fundo do túnel, mas aqui é mais pontes) para se sair do marasmo em breve: já se assinou por aí um papel, coisa que os argelinos detestam, e só falta assinar o "outro" papel para se começar a ter alguma coisa que fazer.

Provavelmente, daqui a uns tempos, venho para aqui chorar que não tenho tempo para me coçar, mas é preferível assim: o tempo passa mais depressa:)

Hamdulilá!!!

domingo, 11 de julho de 2010

More from the 90's

 

Como o tipo é um génio, eu perdoo-lhe o cabelo e a maquilhagem meia rabeta...Afinal de contas ainda se ressacava dos 80's :)

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Parece que é...

...mas não é :)



A Diesel em grande ;)

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Tabarka - Parte 2

A noite! Sair à noite é uma coisa, que pelo menos nestes cantos da Argélia não existe! Por Tabarka as coisas são ligeiramente diferentes: há 2 discotecas! Continua a ser maioritariamente um ambiente de festival dos Bombeiros Voluntários de Palmela. As poucas mulheres que saem à noite são as "bifas", ou as poucas argelinas que encontrámos na fronteira, ainda com trajes mais tradicionais, mas que na Tunísia se vestem que nem umas barrascas com tão pouco tecido :)

As saídas começavem sempre num local emblemático: o Café Andalous. O melhor café de shisha da cidade. Tem um aspecto assim para o maquiavélico, com uma decoração que ainda data da inauguração. O fumo acumulado nas paredes e as teias de aranha dão um toque de charme especial! Fora de gozos, é um lugar cheio de mística e sobretudo muito agradável de estar. Foi carinhosamente apelidado como " o melhor café do mundo".

As especialidades da casa, são a shisha e o chá de menta com pinhões:
Eu a "shishar" :)

Passando às discos; fomos sempre bem recebidos! Nestes lados da Tunísia o tuga é uma espécie pouco vista, e como tal ficámos conhecidos à distância.

A música, é a mesma que eu ouvia nas discotecas, no tempo que tinha vida para sair à noite, e já lá vão uns anitos...pouco importante! Fizemos nós a festa :)

Um ajuntamento a olhar para quê?

Hummmm! Já entendi :))))

E um pequeno concurso para a pose mais parva :)

Noitadas à partes, até sou um tipo bastante profissional, e não deixei a minha preocupação na Argélia: Segurança acima de tudo!

Obviamente que não fui chatear o rapaz, como se estivesse por cá ;)


E "prontos" assim se acaba o relato de uns diazitos bem passados, fora da normalidade anormal da Argélia!

Fica o momento Polaroid da viagem:

Pela segunda vez em poucos dias, as fronteiras da Argélia e Tunísia viram uns Portugueses a passar a pé...pelas caras, desconfio que não seja uma coisa muito habitual por cá...