domingo, 29 de maio de 2011

As brochettes de Beni Haroun



As brochettes (que são umas espetadas muito ferradas na quantidade de carne, as da imagem são mesmo para o cenário) a par das pizzas e dos hamburguers (gosto do meu corrector ortográfico que me sugere a palavra "emburguesas"), são os pratos tradicionais da Argélia. Se não são, disfarçam bem pois a cada esquina há um sítio onde encontrar um destes pitéus.

Em frente à casa onde moro, há um destes restaurantes; as brochettes são porreiras, e com 100 Dinares (1 €uro) trago 5. É também bastante cómodo, porque uma vez deixei uma gorjeta choruda, e agora basta-me ir à varanda e fazer o pedido. Outra particularidade deste restaurante, é que no fim da noite arredam as mesas e as cadeiras e transforma-se em garagem...

Mas das que quero falar hoje são das brochettes de Beni Haroun. São o ex-libris gastronómico da zona Este do país, e por grande parte dos sítios por onde já passei na Argélia (que se me puser a pensar não foram assim tão poucos), a fama delas é sobejamente conhecida.

Beni Haroun tem supostamente umas termas, que nunca vi, mas é mais conhecida pela ponte e pela barragem que sai do sítio sempre que enche demais...

A comida é preparada à nossa frente, tipo restaurante de sushi, entre os fumos de escape e as moscas, por um chef bonitão, com o palito à banda. Luvas e chapéu é coisa para meninos. Em Portugal, um cenário destes era capaz de dar um ataque ao comum inspector da ASAE (cá não existem esses "terroristas do comércio tradicional"). Por aqui é normal.




Outra das maravilhas de comer aqui, é o sentido de aventura: no fim do repasto, fica sempre aquela sensação de incerteza: "Será que vem aí mais uma disenteria?"; "Será que aguento a tripa até casa? (sempre são uns 40 km?"

quinta-feira, 26 de maio de 2011

(Something) In the air tonight



Um dos meus melhores amigos na Argélia, é o meu modulador FM. É com ele que consigo evitar as rádios argelinas, e ouvir música decente enquanto conduzo.

O trajecto de casa-trabalho hoje de manhã foi especialmente doloroso: para além do tráfico normal da quinta-feira (mais carros=mais selvagens na estrada), o meu modulador parecia ter dado o berro mestre... Isto é normal, e mais ou menos todos os meses tenho de comprar um novo, dado que é do padrão normal das coisas que vêm da China! Pensei que ia ter de sair mais cedo, e dar-lhe um funeral condigno como é normal: dar-lhe umas pézadas valentes e dizer um rol de asneiras!

Entretanto tive de sair, para justificar o meu salário, e continuei a minha busca por uma frequência onde o zingarelho funcionasse, mas sem sucesso. Numa das frequências, apanhei uma música de Coldplay; não é muito da minha praia, mas sempre se consegue ouvir sem furar os tímpanos como a música argelina faz. No final da música a surpresa: "Rádio Comercial: 3 seguidas sem parar!". A minha primeira reacção foi de espanto; depois veio a mente perversa e reparei bem na frase... "3 seguidas sem parar"... yeah right, como se tivesses 22 anos :)

Para quem não vive num país como este, não consegue entender a alegria de ouvir a nossa língua na rádio: pode-se ouvir música portuguesa, mas não é a mesma coisa que ouvir uma voz, que nós sabemos que está lá do outro lado... É esquisito de explicar, mas sabe bem ;)

Depois, e aproveitando o transito parado, decidi fazer mais um scan, e eis que me deparo com a Rádio Renascença, e outras estações espanholas, italianas e uma grega :) Aí sim, vi a luz! Consegui decifrar a big picture por detrás disto tudo: Rádio Renascença + Missa na rádio + ouvir-se na Argélia = Cruzadas v2.0!!!

Vamos voltar para evangelizar este povo, e acabar o trabalho que o Afonso começou depois de bater na mãe.

Secretamente Portugal, e alguns dos restantes países da UE que estão a passar um mau bocado, vão invadir a Argélia, e de futuro todo o Magrebe, e vão transformar esta zona num paraíso fiscal com casinos e casas de moças que se despem; uma espécie de Las Vegas da Europa, que por acaso sempre foi o meu sonho de empreendedorismo para este país!

Esta operação já decorre há algum tempo; a parte de reconhecimento das linhas inimigas veio disfarçada como obras. Agora começa a 2ª fase, que é a propaganda subversiva através da rádio. A 3ª fase ainda não estou ao corrente, mas de certeza que envolve submarinos...

(a música esteve para ser a dos assobios dos Scorpions, mas já me basta de má música nestes últimos dias: tenho o "Hello" do Lionel Richie na cabeça desde ontem)

terça-feira, 24 de maio de 2011

Pai: já gosto de pastilhas!

Hoje foi dia de novidades; a filha quis falar com o pai ao telefone (coisa rara) com uma novidade importantíssima: já gosta e acima de tudo já sabe como se comem pastilhas elásticas.

Ao mesmo tempo fiquei a saber que há regras para as comer:

- Deitar para o lixo quando já não tem sabor;

- Não deitar para o chão, por que podem ficar presas aos sapatos das pessoas. Também são perigosas para os pássaros, pois eles podem comer e ficar com o bico colado;

- Não se pode engolir, por que não se consegue respirar, e a comida não passa para o coração e morremos.

Os perfeitos anormais

Anormais há em todo o lado do mundo... Anormais que maltratam animais e mulheres ( com as devidas distâncias, obviamente), são uma raça que infelizmente abunda nesta zona do globo...

Nas minhas leituras diárias da net argelina, encontrei este vídeo, do qual nem sequer o incorporo aqui por ser de conteúdo forte, mas a grosso modo é uma brincadeira de crianças argelinas (que deviam ter levado o golpe no pescoço, em vez de na gaita) que regam um burro e lhe largam o fogo...

A juntar à saturação do dia a dia com estes gajos, acho que estou a passar do prazo na Argélia...

domingo, 22 de maio de 2011

Feliz Natal






O Natal pode ser efectivamente quando o homem quiser (mesmo em Maio)! Ou então quando há pessoas muito pouco organizadas...

Ora cá estão as famosas prendas de Natal das crianças, que a minha entidade patronal oferece todos os anos. E sim, a foto é mesmo de hoje...

É também uma estranha maneira de saber, que afinal há um 3º filho na família...

sábado, 21 de maio de 2011

Nacionalização


Na próxima semana, mais propriamente dia 23 e 24, os The National (uma das minhas bandas favoritas) vão estar em Portugal. Para variar, sempre que há alguma coisa interessante por lá, a triste sina é estar preso neste pardieiro de cidade/país, onde não se passa rigorosamente nada (tirando claro aquele festival de world music, onde até um tipo acaba por estar de cama).

Eu até já deixei de ver as páginas das bandas que mais gosto, por que acho que é um gesto do mais puro masoquismo, já que (obviamente) nunca há nenhuma data para Argel, ou outra qualquer cidade na Argélia.

Há ainda a hipótese remota (leia-se "ideia parva"), de ir num instante vê-los a Barcelona no dia 25, mas provavelmente iria despertar um incidente diplomático, entre mim e a Madame :)

Como represália para a minha insatisfação, até dia 25 só se irá ouvir The National no gabinete e no carro :D

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Você na TV

Pois...era suposto lá estar para a segunda e terceira noite, mas em vez disso acabei por ficar por casa (pisguei-me do trabalho à tarde, que é uma coisa que efectivamente detesto ter de fazer) a curtir uma bela gripe... 

Não que o Jazz ou a World Music sejam muito a minha praia, mas no deserto cultural que esta cidade é, ter uma opção é um oásis... O cartaz pouco interessa, mas já que se fala nisso, não conheço nenhum dos artistas, muito menos tive a preocupação de ir ao youtube cheirar. O importante da coisa, é mesmo ter alguma animação e um motivo para desviar do percurso trabalho-casa.

Da organização pode-se dizer que é um espelho do país: não funciona :) A meia-hora de atraso no inicio, até que foi uma surpresa por ter sido apenas mesmo meia-hora. Lá dentro não há sequer um balcão que venda uma garrafa de água (a barraca da imperial já era de esperar que não houvesse), e culminou com uma parte do concerto em unplugged, pois a luz faltou.

Resta-me dizer que durante os próximos dias não devo estar disponível para grande coisa, pois agora sou uma celebridade na Argélia: aqui o bonitão foi entrevistado pelo Canal Algerie, e sou agora conhecido como "o português que veio de Portugal de propósito para este festival".

Ainda foi lançado o mote, para tentar dizer a palavra mais conhecida pelos argelinos na obra (aquela que começa com um "F" e acaba em "-se") durante a entrevista, a ser transmitida no prime-time da televisão argelina, mas o travão mental foi mais forte; afinal de contas já começo a ter idade para ter juízo e não fazer destas criancices...

sábado, 14 de maio de 2011

Parabéns!!!

Este tasco fez dois anos! No dia 11!!! E claro que seguindo a minha tendência natural de pai desnaturado, lá me esqueci da data.

Na realidade, eu e as datas, sobretudo de aniversários, temos uma relação de paixão-ódio, já que eu nunca me lembro de nada; neste particular agora tenho a ajuda do FB, que é porreiro para não me esquecer dos aniversários ;)

O meu sentido prático é tão apurado, que praticamente só casei, por que nesse ano o dia de anos da filha calhava a um sábado; deve ter sido o pedido de casamento mais estranho da história: "os anos da filha calham a um sábado este ano; queres casar?". Esta pelo menos não esqueço:)

E pronto: assim se passa mais um fim de semana, a atrofiar nesta cidade...

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Top Secret


No meio de um grande secretismo, este documento veio para à minha secretária; o argelino que o trouxe, é o mesmo que um destes dias lhe vou bater: entra-me sempre com ar de choro no gabinete, e sempre com a mesma frase "Temos um grande problema!". 90% das vezes, o tal problema gravíssimo é um carreiro de formigas na estrada ou coisas do género...

Numa cena meio Bond, lá me entregou o tal documento, e frisou que não podia ficar à vista de mais ninguém, nem mesmo no arquivo da correspondência, por ser um documento "sensível e de elevada confidencialidade". Como o desejo por animação é grande, lá me deixei embrenhar naquela cena, e pus-me a ler o tal documento...

A tal informação do documento, é tão secreta, sensível e inacessível como as partes íntimas de uma profissional liberal... A sua utilidade: porra nenhuma...

quinta-feira, 5 de maio de 2011

O que aconteceu ao corpo do Bin Laden???

A verdade vem sempre "ao de cima" :)

terça-feira, 3 de maio de 2011

Facelifting

De tempos em tempos, as marcas automoveis decidem fazer estes facelifts ou restylings, como se queira chamar; Normalmente são pequenas alterações estéticas, que tendem a modernizar e melhorar a imagem dos modelos em produção (acaba por ser uma coisa que acho meio parva, por que se fossem mesmo bons tinham feito assim à primeira, mas pronto).

Estas alterações não são feitas à parva; há centros e pessoas que sabem desenhar por trás da coisa. Aqui na Argélia também há disso; principalmente em Constantine. Deve ser qualquer coisa com um nome parecido com "Centro de Estudos de Design Avançado Automóvel".

A minha Vitória, que originalmente se chamava Victoria, mas como foi inserida no cadastro por um colega brasileiro, acabou por perder o C (a minha entidade patronal tem essa particularidade de chamar nomes aos equipamentos, ao invés de números ou códigos complicados) já uma vez tinha tido uma aproximação ao um centro de design chamado Renault Clio, foi ontem de novo alvo de um facelift, desta vez por parte do "Centro de Design Hyundai H100 Conduzida por um Ananás com Olhos"!

 A coitada, que estava tão bem estacionada, num largo tão largo que um semi-reboque fazia inversão de marcha, mas lá houve um iluminado que decidiu que a porta do condutor tinha de ir pouco mais para dentro, o guarda-lamas idem, e que o embelezador do guarda-lamas tinha de sair...


E pronto: agora tenho uma carrinha que só eu consigo entrar no lado do lugar do condutor, até que os seguros argelinos se despachem...

Nota para a honestidade acima da média dos argelinos nestas situações: em Portugal o normal é bater e fugir; por aqui batem e fogem da mesma maneira, mas deixam o contacto telefónico; mesmo quando se esquecem de deixar o papel com o número, costuma haver sempre alguém que fica ao pé do carro até o dono chegar ;)

domingo, 1 de maio de 2011

As evidências


Hoje, não obstante ser Domingo (para os países normais, claro) e feriado, estive em auditoria. O meu pessoal de Portugal vir à Argélia trabalhar ao fim de semana.

Vai para 3 anos aqui na Argélia, e foi a primeira vez que voltei a ter necessidade de ter as coisas organizadas. Foi também, o dia em que voltei a ouvir a palavra evidência repetida ao expoente da loucura (obrigado, aos Ornatos Violeta pela frase feita). Já não me lembrava deste dialecto próprio típico de auditor, e até que nem me estou a sair muito mal; melhor até que eu próprio estava à espera; tenho mais evidências do que estava à espera. Pelo outro lado, o número de Não-Conformidades e Oportunidades de Melhoria (outros dois palavrões deste dialecto) não estão a aparecer tão frequentemente como esperado.

É bom sinal! Parece que afinal não estou assim tão burro quanto se esperava...

Continuando nas coisas giras, e que não ouvia há algum tempo, são expressões com "ordenados principescos" e "salário muito alto", que são sempre coisas que as pessoas gostam de ouvir do chefe.

É uma maneira diferente de motivar...à moda da Argélia!