domingo, 18 de setembro de 2011

Os 5 tabus

Quando acertei a minha vinda para a Argélia, e depois de investigar um pouco pela net sobre o que era a realidade do país, decidi que para o meu bem-estar havia 5 tabus. 5 coisas que não poderia/devia fazer durante a minha estada nestes lados.

Assim, defini os seguintes assuntos, como interditos:

1 - Ir a barbeiro/cabeleireiro;
2 - Ir ao dentista;
3 - Não partilhar piscinas com mamíferos argelinos
4 - Evitar a todo o custo ser picado por agulhas;
5 - Abster-me de contactos íntimos com a fauna local.

Até à data, e já lá vão mais de 3 anos, só ainda tinha falhado com 1,5 destes tabus: no âmbito da medicina do trabalho, e principalmente para dar o exemplo aos outros, lá fiz umas análises ao sangue, onde obviamente tive de ser picado. O outro meio-tabu que não respeitei, foi a coisa da piscina, embora neste caso tenha desculpa, pois foi na Tunísia, e até hoje não posso confirmar se havia ou não nativos da Argélia no Hotel onde fiquei. (Outro dia tentei ir a um hotel com piscina neste pardieiro, mas fui expulso)

Dos outros três, cá me vou remediando: o meu corte de cabelo é homemade, com uma maquineta que trouxe de Portugal, e no que diz respeito a contactos íntimos, acredito no apuramento da raça, logo misturas de sangue com esta gente continua a estar fora de questão ;)

O pior deles é mesmo o dentista: já aqui andei algumas semanas com um dente partido, com umas constipações e voos pelo meio, o que é um cocktail de coisas que não cai muito bem.

Infelizmente, a minha ida a Portugal avizinha-se ainda bem longínqua, e com as dores que tinha andado na última semana, tive de me deixar de mariquices e lá fui ao dentista... Gostei tanto que amanhã volto lá; as minhas idas ao carniceiro hão-de merecer um post à parte, dada o surrealismo da coisa...

(E com a linda imagem da minha boca aberta, regresso ao mundo dos vivos, após uma ausência prolongada, que meteu férias, algum trabalho, a silly season da Argélia, aka Ramadão, o 3º aniversário da minha vinda para a Argélia, mas sobretudo muita falta de vontade de escrever)